CPR GROUTING

O objetivo do CPR Grouting est√° totalmente concentrado no enrijecimento de solos argilosos moles, de maneira eficiente e sustent√°vel, bem menos complicada que com funda√ß√Ķes profundas ou inclus√Ķes r√≠gidas. O CPR Grouting √© a mais moderna t√©cnica de enrijecimento de argilas moles, org√Ęnicas e inorg√Ęnicas.

O PROBLEMA

A funda√ß√£o de uma estrutura, seja uma estrada, ferrovia, √°rea portu√°ria ou armaz√©ns log√≠sticos, exige condi√ß√Ķes geot√©cnicas de solo est√°veis, significando que o investimento estar√° isento de riscos. Caso inexistam, an√°lises dever√£o ser feitas por engenheiro geot√©cnico experimentado, de modo a solucionar poss√≠veis riscos. A presen√ßa de solo mole em qualquer terreno, seja a partir da superf√≠cie ou em camadas sub-horizontais, incorre, naturalmente, na necessidade de c√°lculos de estabilidade e recalques, normalmente envolvendo an√°lise computacional.

A GEOTECNIA DO CPR GROUTING

O dimensionamento do CPR Grouting consiste em entrarmos com par√Ęmetros do solo e do projeto a ser executado com an√°lise num√©rica espec√≠fica, desenvolvida por nossa organiza√ß√£o. Em contrapartida, o programa oferece todas as diretrizes executivas, tanto de consolida√ß√£o quanto da rigidez, para cada projeto.

De um modo geral, trata-se da cravação de malha de geodrenos, intercalada com malha de verticais com bulbos de compressão e enrijecimento do solo, via expansão de cavidades, de baixo para cima, escalonadamente, a partir do solo resistente, para cada metro de profundidade, especialmente ajustado para o solo mole em questão, através de curva granulométrica formulada pelo programa, com areias, siltes e aglomerantes da própria região, além de aditivos, de modo a promover a consolidação do solo e, ao mesmo tempo, impor níveis de rigidez superiores às exigências de projeto.

A neutraliza√ß√£o dos recalques imediato e primario √© assegurada com o acompanhamento do m√°ximo excesso da poropress√£o e sua dissipa√ß√£o. A confirma√ß√£o do recalque secundario √© comprovada atrav√©s das tens√Ķes de flu√™ncia na curva pressiom√©trica de acompanhamento do servi√ßo. Os bulbos de compress√£o e adensamento, realizados via expans√£o de cavidades, confirmam a ordem de deforma√ß√Ķes (recalques) impostas. Uma vez alcan√ßada a resist√™ncia necess√°ria, previamente programada, com cada bulbo de compress√£o, interrompe-se o enrijecimento naquela cota, suspendendo-se o tubo de bombeamento e repetindo-se o enrijecimento at√© chegar-se √† superf√≠cie do solo mole. Toda a mec√Ęnica executiva √© acompanhada com monitoramento do excesso e dissipa√ß√£o da poropress√£o causada que, com as curvas pressiom√©tricas press√£o-volume, indicam o grau de consolida√ß√£o e rigidez impostos. O resultado √© o aumento substancial da resist√™ncia efetiva e da rigidez do solo mole, ao longo de toda a sua profundidade, de maneira proporcional √† quantidade de dissipa√ß√£o da poropress√£o.

Para cada projeto, associa-se uma resist√™ncia √† compress√£o, espec√≠fica para o geogrout formador dos bulbos de compress√£o e adensamento do solo. Ap√≥s o CPR Grouting, com os par√Ęmetros previamente analisados, como o volume e a press√£o de cada bulbo de compress√£o imposto no solo, obt√™m-se os m√≥dulos tens√£o-deforma√ß√£o do solo, agora solo comp√≥sito, bem superiores ao do solo original e ajustados ao projeto. Um outro dado interessante √© que o solo refor√ßado passa a trabalhar imediatamente como solo comp√≥sito r√≠gido. Todas as cargas de projeto, a serem impostas, ser√£o distribu√≠das sobre a camada de aterro de maneira uniforme, sem os inconvenientes provocados por transfer√™ncias de carga e efeitos de arqueamento.

A partir da programação executiva, obtida com método específico de elementos finitos, o CPR Grouting poderá ser iniciado com a seguinte metodologia:
  • Campanha de ensaios com pressi√īmetros e piez√īmetros.
  • O terreno dever√° estar com a terraplanagem feita, de modo a assegurar a trafegabilidade dos equipamentos.
  • In√≠cio da crava√ß√£o dos geodrenos com equipamento de esteiras e lan√ßa com altura compat√≠vel com a profundidade do enrijecimento.
  • Com equipamentos sobre esteiras e lan√ßas, chega-se √† cota desejada, iniciando-se a forma√ß√£o das verticais com bulbos de compress√£o.
  • Nova campanha de ensaios pressiom√©tricos para atestar o melhoramento do solo.

SOLO MOLE, MUITO MOLE OU ULTRA-MOLE

Apresenta baixa resist√™ncia √† penetra√ß√£o, ou seja, com valores de SPT que variam de 0 a 5 golpes, onde a fra√ß√£o argila e o grau de satura√ß√£o imprimem caracter√≠sticas de solo coesivo e compress√≠vel, incluindo-se as areias fofas. Os dep√≥sitos ou ambientes de deposi√ß√£o variam desde o aluvial, nas v√°rzeas dos rios, at√© o costeiro, passando por mangues, evidenciando a presen√ßa de argilas org√Ęnicas e turfas.

M√ČTODOS TRADICIONAIS DE TRATAMENTO DE SOLOS MOLES

A presen√ßa de solo mole inibe, naturalmente, projetos com funda√ß√Ķes diretas. A op√ß√£o por funda√ß√£o profunda, utilizando-se estacas, exige substratos resistentes, geralmente distantes da superf√≠cie. A presen√ßa de camadas de solo mole, invariavelmente acompanhadas da execu√ß√£o de aterros, submete as estacas ao perigoso fen√īmeno do atrito negativo e a deslocamentos laterais, estabelecendo-se recalques diferenciais perigosos. O emprego da t√©cnica de aterros de sobrecarga √© cara, demorada e n√£o elimina os recalques. Estacas de material granular e troca de solo s√£o caros, produzem bota fora, e n√£o eliminam recalques. Estas t√©cnicas, cada vez mais, tornam-se proibidas por leis ambientais.

Célula Triaxial do CPR Grouting


Em nosso laboratório geotécnico, dispomos de célula triaxial modificada, específica para o CPR, além da estrutura de carregamento que determina o coeficiente de pressão lateral.


Sondagem Pressiométrica Típica de Checagem do Reforço do Solo





Curva Pressiométrica Típica, Volume Bombeado x Pressão Desenvolvida para cada Bulbo de Compressão




Recalque induzido durante a formação de cada bulbo de compressão, via expansão de cavidades




Medição da consolidação do solo através do controle do excesso e dissipação da poropressão




Vantagens do CPR

  • 100% espec√≠fico para solos moles;
  • Mobiliza√ß√£o r√°pida;
  • Aus√™ncia de transtornos √† obra;
  • Ampla gama de aplica√ß√Ķes;
  • Aus√™ncia de aterros, refugos e lama;
  • Chuvas n√£o interrompem o servi√ßo;
  • Alternativa super econ√īmica, al√©m de prazos extremamente curtos em rela√ß√£o √† substitui√ß√£o de solos, aterros tempor√°rios, colunas granulares e estaqueamentos;
  • Alcan√ßa profundidades de tratamento onde t√©cnicas cl√°ssicas s√£o limitadas;
  • Acesso a locais restritos, limitados e dif√≠ceis, sem interfer√™ncia com a rotina do cliente;
  • Melhor custo benef√≠cio;
  • Perfeito para refor√ßo de funda√ß√£o.